Graça

" Porque pela graça sois salvos [...]” (Ef 2.8)
 
No Antigo Testamento, a palavra hebraica usada pelos escritores sagrados ao se referirem à Graça é hesedh, a qual é traduzida centenas de vezes como misericórdia e dezenas de vezes como bondade longanimidade. Hesedh aparece 421 vezes na Bíblia: 250 no Antigo Testamento (só em Salmos são 127) e 171 no Novo Testamento, sendo que na carta aos Efésios aparece 14 vezes.
 
Graça é uma palavra com duplo sentido que pode ser empregada a respeito de Deus e dos homens. Quando empregada acerca de Deus, se refere à graça salvadora, a favor imerecido, o dom gratuito, à perdão de pecados (Lm 3.22).Porém, quando relacionada aos homens (Os 6.6), deixa subentendido um amor constante por outro ser humano ou por Deus. 
 
Todas as epístolas apostólicas começam e terminam mencionando essa bênção de Deus, por isso os cristãos primitivos usavam a palavra graça quando se reuniam e se saudavam.
 
Graça é favor imerecido concedido por Deus. É a indulgência, a remissão, o relevamento, o perdão dos pecados. Aventuro-me a dizer que o pecador justificado por Deus está em posição mais segura do que o justo baseado em suas obras, se isso fosse possível.
 
Graça é a manifestação do caráter divino e descreve a generosidade não merecida através da qual é dada a salvação, também é a palavra de poder que descreve as maneiras de operação do Espírito Santo sobre os que creem no Evangelho e obedecem ao Senhor.
 
A graça está intimamente ligada à aflição e consolação.
 
“Porque, como as aflições de Cristo são abundantes em nós, assim também é abundante a nossa consolação por meio de Cristo [...] Sabendo que, como sois participantes das aflições, assim o sereis também da consolação.” (II Co 1.5,7)
 
A aflição na vida de um cristão cumpre um propósito específico estabelecido pelo Senhor, o qual tem o controle absoluto da nossa vida e de todo o processo que nos leva ao amadurecimento cristão “à medida de estatura completa de Cristo” (Ef 4.13).
 
“Em qualquer circunstância, mantenha sua confiança em Deus, o qual rege o Universo e guarda a sua vida. Nunca se revolte, seja qual for o problema que lhe surpreenda. Saiba que além do seu sofrimento, sofre também outros filhos de Deus, sob o estigma de aflições que você desconhece.” (Charles Spurgeon – Tudo de Graça)
 
"Portanto, não meça sua capacidade pelo número de quedas que haja sofrido e, sim, pelo número de vezes que teve coragem de levantar-se e manter-se de pé, ‘porque sete vezes cairá o justo e se levantará" (Pr. 24.16).
 
O irmão Branham diz que é preferível um homem cair dez mil vezes, a cair uma única vez e não levantar-se mais.
 
“Aqui estou esta manhã, amigos. Sou um pobre servo do Senhor. Tenho falhado com Ele de tantas maneiras que sinto vergonha de mim mesmo. Sinto-me indigno até mesmo para ministrar Sua grei enferma. Mas eu não olho para minha dignidade, porque não tenho nenhuma. Eu olho para o que é a Sua Graça...”
 
“Se minhas mãos não estão limpas, porém as Dele estão e eu não ministro com as minhas. Eu apenas tento me render a Deus para que então ele possa ministrar através de mim.” (Mensagem: Véu a Dentro, parág. 283)
 
Realmente, Deus é glorioso em graça: a nossa santificação não depende dos méritos de nossas próprias ações; depende da graça soberana e positiva do Deus todo poderoso que nos escolheu Nele.
 

Em quem temos a redenção pelo seu sangue, a remissão das ofensas, segundo as riquezas da sua graça” (Ef 1.7)
Categoria:Artigos