Voluntariedade

“Pois vos foi concedido, em relação a Cristo, não somente o crer nele, como padecer por ele [...]” (Fp. 1:29)
 
O holocausto é um sacrifício voluntário.
 
O Senhor não quer nada forçado de nós. Ele quer que ofereçamos nossos sacrifícios livremente.
 
O verdadeiro obreiro demonstra sempre ser um soldado voluntário, que trabalha porque ama a seu Senhor. É como se de seus lábios sempre procedesse esta canção:
 
“Agrada-me fazer a tua vontade, ó Deus meu; dentro do meu coração está a tua lei [...]” (Sl. 40:8)
 
Veja o conselho do rei Davi para o seu filho Salomão: “Conhece o Deus de teu pai, e serve-o de coração íntegro e alma voluntária [...]” (I Cr. 28:9)
[...]
Deus deseja uma entrega completa:
“Disse Maria: Eis aqui a serva do Senhor; cumpra-se em mim segundo a tua palavra. ” (Lc. 1:38)
 
Os sacerdotes de todas as seitas e religiões sabem que a Divindade requer tudo e o melhor para o sacrifício. O clero romano, assim como os ministros cristãos, sabe que o ministério é um holocausto; é uma entrega incondicional; por isso ofertam seu tempo integral ao Senhor.
 
“Ninguém que milita se embaraça com negócio desta vida, a fim de agradar àquele que o alistou para a guerra” (II Tm 2:4)
 
Nada contra os que labutam secularmente para atender a Obra. Se o ministro não pode, não pode; Todavia, se pode militar integralmente melhor ainda.
[...]
O ministro precisa ser alguém de um só propósito na vida. Deve poder dizer como o apóstolo Paulo: “Uma coisa faço”.
 
Você quer que Deus o use? Nesse caso, está pronto a pagar o preço? Está pronto a abandonar tudo mais para se tornar um homem de um alvo só? Você está pronto a dedicar sua vida a essa única coisa, de modo que nada mais o atraia, nada mais o interesse, nada mais absorva sua atenção? Está você preparado para dar-se inteiramente ao Serviço e tornar-se um homem de um só grande propósito na vida! Se está, Deus o usará para Sua glória e honra e seu trabalho pastoral se revestirá de êxito.
 
Deus nos faz saber claramente qual seja a sua preferência:
 
Ele diz: “Quando algum de vós trouxer oferta ao Senhor” (Lv.1:2)
 
O Senhor dirige-se à pessoa, ao indivíduo. Deus não quer primeiramente seus atos, seus esforços, seus sacrifícios; mas ele quer a você mesmo! Ele quer sua disponibilidade, sua dedicação, sua obediência.
 
O programa de Deus se desenvolve através da obediência dos seres humanos. O alfabeto do cristão começa com: O-B-D-C. Deus quer o íntimo das pessoas. Ele atenta mais para o modo do que para a ação.
 
O holocausto tipifica o que o Senhor requer de nós.
 
“Em nada tenho minha vida por preciosa, contanto que cumpra com alegria a minha carreira, e o ministério que recebi do Senhor Jesus, para dar testemunho do evangelho da graça de Deus.” (Atos 20:24)
 
 
Deus vos abençoe!
 
Pr. Eliézer Ribeiro.

*Texto retirado do livro Interrogação, volume II, capítulo Holocausto Ministerial.
Categoria:Artigos