Oração

  Orar é oxigenar a alma. Orar é falar com Deus.
 
A oração consiste em manter comunhão com Deus. Quer isto dizer que Deus existe pessoalmente, que pode e quer ouvir-nos.
 
A oração é instintiva na humanidade, que em suas crises, chama por Deus. Ela se evidencia através da adoração, do louvor, da intercessão, da súplica, do perdão e da libertação.
 
Pela oração você vai ao céu, vê Deus, move o braço do Senhor e muda as circunstâncias.
 
Aquele que ora é mais capaz, mais atuante, mais fervoroso, mais prudente:
 
“Aquele que é justo orará a ti, a tempo de te poder achar; e até no transbordar das muitas águas, estas a ele não chegarão”. (Sl.32:6)
 
Tudo podemos fazer em demasia; todavia, nunca oramos demais. Muita oração, muita bênção; pouca oração, pouca bênção; nenhuma oração, nenhuma bênção.
 
DECISÃO APOSTÓLICA
 
A decisão apostólica de orar precisa ser a nossa também.
 
A principal prioridade pessoal do ministro é o seu relacionamento com Deus: “Quanto a nós, nos consagraremos à oração e ao ministério da palavra” At. 6:4
 
Os apóstolos ao tomarem esta decisão, estavam seguindo o exemplo de Jesus, que sendo Senhor e Mestre, separou parte das horas do dia, para dedicar-se à comunhão plena com o Pai (Mc. 1:35; 6:46-47; Lc: 5:15-16; 6:12; 9:28-29; Mt. 14:23), assim deve fazer cada mestre.
 
“Nunca o mestre é tão grande como quando está ajoelhado, somente quando nos ajoelhamos diante de Deus é que nos tornamos aptos para pôr-nos de pé diante de Sua Igreja.”
 
ORAÇÃO GERA PODER E CONFIANÇA
 
Tanto os apóstolos como o rei Asa conheciam esse segredo.
 
“Tendo orado, moveu-se o lugar em que estavam reunidos; e todos foram cheios do Espírito Santo, e anunciavam com ousadia a Palavra de Deus” (At. 4:31)
 
“Então Asa clamou ao Senhor, seu Deus, e disse: Senhor, não há ninguém como Tu que possa ajudar o fraco contra o poderoso. Ajuda-nos, ó Senhor, nosso Deus, pois em ti confiamos e no teu nome viemos contra essa multidão. Senhor, Tu és o nosso Deus; não prevaleça contra ti o homem” (Cr. 14:11)
 
Toda época de bênção começa com uma igreja sobre os joelhos, ou ainda melhor, com a fronte prostrada diante do assento de misericórdia. Humilhemo-nos, então, desse modo, ante os Seus pés, e esperemos em Deus com profunda humildade, sincero arrependimento e oração perseverante.
 
A oração unge nossos sentidos espirituais para discernir os espíritos e discernir o Corpo do Senhor.
 
“Quão fácil Satanás pode fazer isto passar por despercebido a um irmão. Exatamente muito fácil. Irmão, eu estou lhe dizendo... Você devia ser ungido antes de entrar nisto. Você deveria entrar num lugar secreto e orar. As pessoas dizem: ‘Por que você não sai para ver o povo?
 
Irmão, se você vai conversar com o povo ou ensinar-lhes, é melhor você permanecer com deus um tempo antes de você subir naquele púlpito, porque Satanás é astuto, muito astuto [...]” Mensagem: Por que não somos uma denominação?, parág. 172,173.
 
“Orai em todo tempo com toda oração e súplica no Espírito. Vigiai nisto com toda perseverança e súplica por todos os santos” (Ef. 6:18)
 
 
 
Pr. Eliézer Ribeiro.
 
Trecho do capítulo 16, do Livro Interrogação II.
 

Deus vos abençoe!
Categoria:Artigos