Discurso Proferido na Referida Celebração do Jubileu

Saudações aos pastores, irmãos e amigos em Cristo.

"Em nada tenho minha vida por preciosa, contanto que cumpra com alegria minha carreira e o ministério que recebi do Senhor, para dar testemunho do evangelho da graça de Deus.” Atos 20:24

 
Com gratidão ao Senhor, a Igreja Evangélica Tabernáculo de Adoração e a Missão Transcontinental Resgate comemoram o Jubileu de Ouro (50 Anos de Ministério) e as Bodas de Ouro (50 anos de Matrimônio do pastor Eliézer da Silva Ribeiro e sua esposa, irmã Renilde de Oliveira Ribeiro).
 
Esta celebração aponta para além da história de um simples casal. É a história de amor, de fé, de convívio e de submissão às Ordens de Cristo. Duas vidas que sabem muito bem o que significa ser cristão e servir a Cristo e à Sua Obra Redentora. Viver em favor das almas para aproximá-las do único Deus verdadeiro, repleto de amor – embora esse casal tenha perdido sua filha primogênita assassinada no campo missionário, contudo continuou cuidando dos inúmeros filhos de Deus espalhados pelo mundo à fora.
 

No pastor Eliézer Ribeiro percebemos a santidade na sua vida, nos pequenos gestos. Um homem humilde, simples, que não reclama, que cede seu direito e seu lugar, que não murmura, que é obediente, dócil – sem deixar de ser enérgico –, um homem de fé que não desanima nunca! É um ministro seguro de seu chamado, comissão e vindicação. Ele faz parte do grupo de homens que têm profunda intimidade com Deus. O pastor Eliézer não é um moralista desajustado que vive procurando as falhas das ovelhas e apontando os erros alheios, ele vive o seu sacerdócio com tanta doação e coerência que faz com que sejamos impregnados e contagiados por seu ardor sacerdotal e missionário.


Realmente, é só entrar em contato com um pastor especial para dali sair-se melhor: mais cristão, mais amigo de Deus e mais amigo do próximo. 
 
O homem inteiramente bom não precisa falar muito para converter os outros; não precisa nem mesmo falar; basta que exista, basta que seja o que é, e logo o seu ser atua inconscientemente sobre o ambiente. 
 
O homem não vale pelo que diz ou faz, vale pelo que é. Este é o misterioso carisma do pastor verdadeiramente especial: irradia sem cessar sua bondade pessoal. Já vi Deus curar através de um estreitar de mão, através de um sorriso, através de um respeitoso beijo, através de um abraço do pastor Eliézer.
 
Na irmã Renilde Ribeiro, uma serva de Deus que também pagou um preço por manter-se na posição que o Senhor a constituiu, que lutou para resguardar sua casa e hoje poder glorificar o Santo nome do Senhor apresentando a Ele sua família: esposo, filhos, genros, nora, netos, bisnetos e irmãos em Cristo.
 
O pastor Eliézer é filho, irmão, tio, pai, marido, avô, bisavô, amigo, companheiro, pastor, fundador e tantas outras prerrogativas, vive e é o missionário Eliézer Ribeiro em sua história. Seus quase 70 anos de idade trazem entrelaçados histórias de milhares de pessoas que foram, de alguma forma, marcadas por sua trajetória. Nesta data de comemoração de seu Jubileu de Ouro de Ministério e de suas Bodas de Ouro de Matrimônio, tudo isso nos proporciona uma imensidão de motivos de agradecimento. Porém, o que mais nos encanta neste ministro de ouro é saber que para nós, ele não seria necessariamente ouro e sim prata.
 
Não estranhe, explicamos tal colocação: o pastor Eliézer Ribeiro, como ouro teria glória, grandeza e realeza. Teria se tornado pastor-presidente da primeira Assembleia de Deus do mundo com sede em Belém do Pará, onde serviu como co-pastor por muitos anos; seria também o primeiro Deputado Federal dentre o povo evangélico do Norte e Nordeste do Brasil e, consequentemente, seria Secretário de Estado e até eleito a algum cargo executivo; seria um militar brilhante, um oficial laureado na Força Aérea Brasileira; seria um comerciante bem sucedido, um milionário no ramo, tendo em vista a sua vocação, sua comunicação e o seu carisma.
 
Como ministro de ouro, ele seria muito importante, muito precioso, muito difícil, pouco acessível, pertenceria apenas ao convívio de alguns privilegiados. O ouro não precisa de muitos, ele por si só já reluz. Por isso que, para nós, o pastor Eliézer não seria ouro, e, sim, prata. A prata precisa de muito trabalho de purificação e atenção do artesão para emitir algum brilho. Não se trata de qual é o melhor metal, pois prata e ouro sempre possuem utilidades próprias. Embora o ouro seja o mais dúctil, o mais maleável dos metais, no entanto a prata é o que melhor conduz o calor e a eletricidade.
 
Quando pensamos no pastor Eliézer nos vem logo à mente e ao coração duas características que, para nós, as definem como prata da casa, da nossa Casa de Adoração: sua intimidade com Deus e sua capacidade de se arriscar. Com o exemplo dele aprendemos a buscar em Deus uma intimidade, um lugar de repouso e as respostas para as nossas angústias humanas. Ao mesmo tempo aprendemos a arriscar na oportunidade, seja material, espiritual ou ministerial; seja na Obra local, nacional ou estrangeira que se apresenta a nós.
 
Chegar assim ao Jubileu de Ouro e às Bodas de Ouro é ter ainda o coração de prata. Não que perca o seu valor, pelo contrário, só a prata torna-se tão acessível para todos. Nas moedas, nos colares, nas alianças, a prata pode chegar a todos. Assim é o pastor Eliézer, um ministro de ouro com a capacidade de ser prata para todos.
 
Nossas palavras não são suficientes para refletir a vida, a obra, o bem de quem, diariamente, nesses 50 anos se fez “tudo para todos”. Foram milhares de batismos ministrados, milhares de crianças dedicadas, milhares de casamentos celebrados, milhares de funerais realizados e centenas de pastores, evangelistas e diáconos ordenados, e também dezenas de escolas, casas pastorais e templos construídos. Esses trabalhos foram realizados na Amazônia e em todo território brasileiro, além de 97 países evangelizados.
 
O pastor Eliézer casou com a irmã Renilde em 31 de março de 1966 e na mesma data foi ordenado ao ministério evangelístico; em 27 de setembro de 1970, foi ordenado ao ministério pastoral; em 17 de novembro de 1973, foi ordenado ao ministério missionário; em 06 de novembro de 1983, foi ordenado ao ministério da Mensagem, em Phoenix – Arizona, Estados Unidos; e, em 06 de junho de 2000, o pastor Eliézer partindo de Florianópolis – Santa Catarina atravessou os mares, levando a Mensagem aos cinco Continentes.
 
Que Deus continue com Suas mãos estendidas abençoando esse casal nesse Ministério de ouro com um sacerdócio de prata
 
Deus vos abençoe!
 
Discurso proferido na referida Celebração do Jubileu de Ouro e das Bodas de Ouro, na última sexta-feira, 01 de abril de 2016.
Categoria:Eventos